22 de jul de 2010

SOS: Salada de atum com feijão frade à estudante

Não sei se deram pela ausência (espero que sim) mas andamos em trabalhos outra vez. Faltam ainda dois exames para as tão esperadas férias!
Em alturas de exames, mais do que nas outras, tenho de pôr cor e vitaminas no prato, senão este cérebro não anda!

Esta salada tem tudo o que um estudante costuma ter em casa: coisas de lata, legumes que não se estragam, queijo fresco, ovos. Segunda-feira despedimo-nos da ração de combate!

Tempo: 10 minutos de tacho ao lume + 5 minutos de manobras
Calorias: 500 kcal
Rende: 1 refeição

Ingredientes:
  • 1 tomate
  • 1 terço de pepino
  • 1 ovo
  • 1 pedaço de pimento verde
  • meia lata de atum
  • 1 queijo fresco
  • 50 g fusilli (usei um muito bonito: ortolano tricolor)
  • 4 colheres de sopa de feijão frade (+- 70g)
  • 1 colher de chá de azeite
  • vinagre
  • sal aromatizado com orégãos (é booom)
Procedimento:
  1. 2 tachos ao lume - cozer a massa e o ovo.
  2. Lavar e cortar os legumes (usei uma mandolina - 30 segundos!!)
  3. Distribuir os ingredientes no prato: a massa já cozida, o atum, o tomate, pimento e pepino, o queijo fresco em quartos, o feijão.
  4. Temperar com o azeite, vinagre e sal.
E temos um almoço rápido, colorido, fresco e nutritivo!

18 de jul de 2010

Queijadinhas de leite condensado

Este fim-de-semana não sei o que se passou mas o frasco dos bolos (que estava cheio na sexta-feira à noite) ao Domingo de manhã já estava vazio. E não estou a falar de um frasco qualquer! Este frasco aguenta umas boas duas semanas...Mas penso que o vento trouxe apetite aqui para os meninos. E foi alguém a correr ligar o forno para remediar a situação.

Rende: 12 queijadinhas
Calorias: 120 kcal cada
Tempo: 5 minutos de manobras + 30 minutos de forno

Ingredientes:
  • 1 lata leite condensado
  • 1 colher de sopa de leite em pó
  • 2 dl leite magro
  • 5 ovos
  • açúcar em pó e canela
  • raspa de um limão
  • 5 ou 6 gotas de sumo de limão
  • Farinha e margarina para untar
Procedimento (Bimby):
  • Pulverizar a casca de limão dando uns toques de turbo.
  • Tudo lá para dentro e velocidade 4 até ficar homogéneo.
  • Distribuir por forminhas untadas e enfarinhadas. Cerca de 30 minutos de forno a 200ºC.
  • Desenformar, colocar em forminhas de papel e salpicar com açúcar em pó e canela.
Procedimento (a la mano)
  • Misturar o leite condensado com o leite em pó.
  • Bater os ovos com um garfo. Juntar ao preparado anterior. Adicionar as raspas e sumo de limão.
  • Distribuir por forminhas untadas e enfarinhadas. Cerca de 30 minutos de forno a 200ºC.
  • Desenformar, colocar em forminhas de papel e salpicar com açúcar em pó e canela.

Se elas dentro do forno ficarem deste tamanho não se assustem!
E aqui o que sobrou!!



15 de jul de 2010

Omelete de courgette e queijo com salada à Cató


De volta a Lisboa! Temos de novo a ração de combate!

Saí há meia hora do ginásio com uma fome de leão, abro o frigorífico e_ um queijo fresco! Espectacular! O que vale é que a gaveta costuma estar bem recheada de legumes e coisas frescas...e viva o improviso!

Rende: 1 porção
Calorias: 240 kcal, 20 g de proteína, só 7 g de hidratos de carbono
Tempo: menos de 10 minutos

Ingredientes:
  • 1 tomate chucha rijinho
  • 1 queijo fresco magro
  • 10 g queijo flamengo para ralar
  • 1 colher de chá de molho pesto
  • orégãos, pimenta, noz moscada, gomásio
  • 1 ovo e 1 clara
  • 2 colheres de sopa de leite
  • courgette (uma meia chávena...até não dar mais para incorporar no ovo)
  • 1 gotinha de vaqueiro líquida
  • rebentos de soja
Preparação:
  1. Partir os ovos, rejeitar uma gema, bater com um garfo.
  2. Ralar o courgette (até não dar para incorporar mais no ovo).
  3. Acrescentar o leite e o queijo ralado.
  4. Temperar com gomásio (sal+sementes de sésamo), noz moscada, pimenta e orégãos
  5. Deitar uma gotinha de vaqueiro líquida numa frigideira anti-aderente, passar com papel absorvente para espalhar pela frigideira.
  6. Verter a mistura de ovo, esticar até aos bordos da frigideira, deixar passar em lume baixo.
  7. Enrolar a omelete sem partir! Apagar o lume.
  8. Fazer a salada: Cortar o tomate e o queijo fresco às rodelas, intercalá-las e acrescentar os rebentos de soja. Colocar um pouquinho de molho pesto em cima de cada fatia de queijo.
  9. Cortar com jeitinho a omelete às rodelas. Colocar no prato.
E no fim uma gelatina! Um jantar às rodelinhas, low carb!

12 de jul de 2010

Pães de Deus ou Arrofadas




Não acreditaria se não os tivesse feito! Os Pães de Deus da Bimby são óptimos! Uma colega é que me picou:
_"Já fizeste pães de Deus na Bimby?
_ Não! Olha gosto tanto e nunca experimentei! Às vezes faço pão mas fica duro...
_ Ah mas estes ficam muito fofinhos, a massa trabalha-se bem...
_ Ok, vou experimentar!"

E foi logo umas 3 horas depois. Cheguei a casa, lancei-me à máquina e deixei os piquenos a levedar. Trouxe-os para a varanda para ler um bocadito mas eles gostam mesmo é do quentinho do forno. Aconselho a meterem-nos logo dentro do forno a 50º para levedar, senão nunca mais é Sábado. Vamos a isto! A receita foi retirada do Fórum da Bimby.
Rende: 9 pães de Deus
Calorias: 230 kcal cada
Tempo: 5 minutos de Bimby + 1h15 a levedar + 20 minutos de forno

Ingredientes:
Massa:
  • 3oo g farinha
  • 50 g leite magro
  • 70 g água
  • meia saqueta fermipan
  • 50 g margarina
  • 50 g açúcar

Recheio: (na receita original é metade destas quantidades mas nós somos gulosos...)

  • Um ovo para pincelar
  • 100 g de côco ralado2 colheres de sopa de açúcar
  • 2 colheres de sopa de leite magro

Preparação:

  1. Leite, água, açúcar e manteiga no copo; 2 minutos, 37º, velocidade 2.
  2. Juntar fermento, sal, farinha. 15 segundos, velocidade 6.
  3. 3 minutos velocidade espiga. Se estiver muito mole, adicionar um pouco de farinha.
  4. Polvilhar a bancada com farinha, deitar a massa, fazer bolinhas de 70 g.
  5. Pegar num tabuleiro de forno coberto com papel vegetal. Dispor as bolinhas afastadas. Dar-lhes um corte (longitudinal ou em X) com uma faca.
  6. Bater o ovo e pincelar as bolinhas.
  7. Misturar o côco com o leite e açúcar e meter colheradas nos cortes does pãezinhos.
  8. Forno com o tabuleiro, cerca de uma hora (a mim demorou mais porque não meti no forno desde o início), 50ºC.
  9. Passado este tempo, subir para 200ºC durante 20 minutos. Não deixar estar mais tempo que isto senão ficam duros!
  10. Retirar e abafar com toalhas, para ficarem mais fofinhos.

Ao jantar marcharam logo uns quantos...amanhã ao pequeno-almoço cheira-me que não vai sobrar nada! A repetir, sem dúvida!!


11 de jul de 2010

Quiche de bacalhau, espinafres e tomate cereja




Hoje queria aproveitar o resto dos espinafres da Ti Leonilde e fiz uma tartezinha que, bem fresquinha, é muito boa para este tempo. Não tinha massa quebrada de compra em casa e tive de fazer. Não gosto muito porque além de demorar mais tempo, fica mais grossa, nunca a consigo estender tão bem, não fica com a consistência igual à que costumo comprar, suja-me loiça, patati patata, mas teve de ser.

O resultado foi uma tarte muito bonita e com um sabor meio exótico. Aqui vai disto!

Rende: 6 fatias
Calorias: 270 kcal por fatia

Ingredientes para a massa (receita da Bimby):
  • 150 g farinha
  • 35 g água
  • 65 g manteiga
  • uma colher de café de sal
  • uma colher de café de açúcar
  • Feijões secos para ir ao forno (e desprezar depois)

Ingredientes para o recheio
  • 1 posta grande de bacalhau
  • 1 chávena de tomates cereja
  • 1 cebola
  • 4 dentes de alho
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 1 pacote de natas (usei o creme culinário light da Vaqueiro)
  • pimenta, noz moscada, sal e cravinho em pó
  • folha de louro
  • espinafres frescos
  • Vinho branco (um copo, mais ou menos)
  • Sementes de linhaça para decorar
Procedimento:
  1. Massa: tudo na Bimby, 15 segundos na velocidade 6.Vai ao frigorífico uns minutos para ficar mais consistente e estende-se com um rolo, forra-se a tarteira, estica-se bem a massa na tarteira. Cobre-se com papel vegetal e coloca-se o feijão seco por cima, para calcar. Vai uns 15 minutos ao forno. Retirar a tarteira.
  2. Recheio: Cozer o bacalhau em água fervente. Escorrer, tirar as espinhas, desfiar grosseiramente.
  3. Cebola e alho picados ao lume com o louro e o azeite. Deixar refogar um pouco e adicionar o bacalhau. Temperar com sal, noz moscada, cravinho em pó. Deixar cozinhar e juntar o vinho branco. Tapar.
  4. Quando já tiver pouco líquido, adicionar os espinafres bem lavados e escorridos e o tomate cereja cortado às metades. Ter o cuidado de não mexer demasiado para não ficar tudo derretido!
  5. Quando os espinafres ficarem macios, adicionar as natas. Destapar o tacho, deixar evaporar. Rectificar os temperos.
  6. Quando tiver pouco líquido, verter para a tarteira. Salpicar com sementes de linhaça. Vai a forno médio até ficar consistente e douradinha.
Habemos quiche! É uma boa ideia para praia e piscina! Esta foi feitinha para passar um Domingo inteiro debaixo de água!

9 de jul de 2010

Bolachas e bolos toscos de banana, chocolate e especiarias




Vou partilhar com vocês o meu último desastre culinário! Nada que se compare com vulcões de bolo em erupção dentro do forno, como já aconteceu. Também se não tivesse corrido bem não publicava (ah pois!). Mas isto tudo resultou em cinco horas a cirandar na cozinha, mais sopa, mais jantar, mais arranjar uns ramos de orégãos que estavam na lista de espera...e numa valente dor de costas e de pernas e...amanhã é Sábado!


Ora bem, eu queria fazer esta receita que vi (http://experienciasnacozinha.blogspot.com/2010/07/bolachas-de-banana.html ) mas em vez de duas e meia queria mesmo pôr três bananas, e a modos que acabei por inventar um bocadinho. A horas tantas achei que esta não era bem massa de bolachas, demasiado nhanhenta e absolutamente contra-indicada para pessoas com défice de paciência (como eu) e acabei por metê-la atabalhoadamente numas forminhas de pudim, para fazer uma espécie de muffins. Isto tudo depois de ter andado a pingar massa pelas bancadas, de ter sujado o dispara-biscoitos, até me faltou a farinha a meio (na verdade tinha 0 de farinha...e lá fui eu comprar a meio da receita). Concluí triunfalmente que massas nhanhentas não dão para dispara-biscoitos, muito menos com pepitas de chocolate! Estamos sempre a aprender...eu cá não me dou bem com tecnologias!


Ingredientes:
  • 150 g margarina
  • 350 g açúcar
  • 350 g farinha
  • 1 colher cheia de fermento
  • 1 ovo
  • 50 g chocolate para culinária
  • 1 colher de chá de canela
  • meia colher de chá de cravinho em pó
  • meia noz moscada moída
  • 3 bananas bem maduras, daquelas que ninguém lhes pega
Procedimento na Bimby (Para ver como se faz manualmente, cliquem no link e vejam como está na receita original)

  1. Bater a margarina e o açúcar na velocidade 4 até ficar uma massa bem leve.
  2. Adicionar o ovo e continuar a bater na velocidade 4 até estar uniforme.
  3. À parte, esmagar as bananas bem esmagadas numa taça e juntar-lhes a colher bem cheia de fermento, misturando. Deixar repousar 2 minutos.
  4. Enquanto passa o tempo, dar umas marretadas no chocolate para ficar em pepitas grosseiras. Eu cortei-o grosseiramente numa tábua de cozinha.
  5. Juntar ao preparado da bimby a farinha e as especiarias. Envolver na velocidade 3.
  6. Juntar a mistura da banana e do fermento e o chocolate. Envolver na velocidade 2.
  7. Para fazer bolachas: tabuleiro do forno forrado com papel vegetal e deitar colheradas jeitosinhas para cima. Forno pré-aquecido a 180º com ele e quando estiverem douradas, retirar, descolar do papel com uma faca e colocar sobre uma grelha.
  8. Para fazer os bolos toscos (vulgo muffins): Pincelar forminhas de pudim flan com Vaqueiro líquida, polvilhar com farinha, encher até 3/4 da capacidade e forno com eles até espetar uma faca e não vir massa atrás.

Tudo está bem quando acaba bem e a verdade é que foram muitos gabados (bolachinhas e bolinhos)! Na minha opinião, principalmente as bolachas são uma boa maneira de aproveitar bananas (porque os bolos podem não se comer logo, depois ficam rijos e depois ninguém lhes pega...e vão parar ao lixo na mesma!). Bolachas que é bolacha come-se sempre, mais semana, menos semana!


Posto isto, boas noites! Sei de uma pessoa que vai ali descansar um bocadinho!

5 de jul de 2010

Caril de lulas e tamboril

Estas lulas eram rijas que nem...lulas! O que era um prato rápido acabou por demorar mais tempo que o que era suposto. Mas foi um jantar meio aldrabado para três pessoas (com este calor e com a pouco vontade de comer deu 4 doses), de semana, com recurso ao congelador.

Rende: 4 poções
Calorias: 260 kcal
Tempo: 1 hora

Ingredientes:

  • 1 chávena de vieiras congeladas
  • 2 chávenas de lulas às rodelas congeladas
  • 5 postas pequenas de tamboril congelado
  • 1 cebola média
  • 4 dentes de alho
  • 2 colheres de sopa de manteiga magra
  • 2 colheres de sopa de caril em pó de boa qualidade
  • 1 copo de vinho branco
  • sal (pouco)
  • pimenta
  • noz moscada
  • hortelã (um ramalhão dos grandes)
  • 1 courgette
Procedimento:
  1. Picar o alho, cortar a cebola às rodelas finas, juntar as duas colheres de sopa de manteiga e deixar refogar. Lavar bem a hortelã, deixar uma folhas maiores e atar os tranquinhos com uma linha. Juntar ao refogado, colocar a tampa e deixar estar mais uns minutos em lume baixo.
  2. Transferir o peixe para o tacho, depois de meio descongelado. Temperar com pouco sal, bastante pimenta e noz moscada. Tapar e deixar refogar uns minutos.
  3. Refrescar com vinho branco, subir o lume e deixar cozer.
  4. Ir adicionando água, se for necessário, para o caso das lulas serem como as minhas!
  5. Enquanto apura, lavar e cortar o courgette com casca em quartos. Cortar as folhas de hortelã reservadas em ripinhas fininhas. Misturar o caril numa taça com um pouco de água quente.
  6. No final da cozedura, juntar o courgette e a mistura de água com caril. Tapar o tacho, pegar nele e abanar, para evitar mexer com a colher de pau e derreter o peixe todo.
  7. Deixar a água evaporar, sem secar demasiado. Rectificar os temperos. Se estiver insonso, juntar mais sal. Juntar metade das folhinhas de hortelã ripadas e misturar (abanando o tacho, sempre).
  8. Transferir para uma travesse e decorar com as restantes folhas de hortelã fresquinhas.
Foi à mesa com uma batatinha cozida (continuamos fartos de arroz!) e uma saladona de alface e tomate e estava muito bom!!


Risotto de courgettes e presunto

_ Catarina, faz aí um arrozito pro jantar!
E a Catarina, já com os olhos em bico:
_ Mais arroz não mãe, mais arroz não!!

E aproveitando as visitas e a folga do fim-de-semana, introduzi a nova modalidade lá em casa: Risotto a sério! Na casa dos meus pais usa-se o arroz para risotto mas faz-se da mesma maneira como arroz agulha normal_ de cenoura, de cogumelos, de feijão, de tomate, de couve. Este arroz tem mais amido, faz aquela goma boa, fica mais cremoso. Nem precisa da habitual manteiga, vinho e queijo para ficar muuuito bom! Mas hoje, e com cuidado com as doses para não espantar ninguém, foi como deve de ser!

Rende: umas 6 doses
Tempo: 30 minutos

Ingredientes:
  • Chávena e meia de arroz arbóreo
  • duas chávenas de água (idealmente seria caldo de legumes...mas não houve paciência)
  • uma chávena de vinho branco (assim mais pro seco)
  • 1 courgette
  • 4 fatias de presunto
  • 1 cebola
  • 3 dentes de alho
  • 3 colheres de sopa de manteiga
  • um pedaço de queijo (usei o que havia e estava à mão - Castelões!)
  • sal
  • 2 folhas de louro
Procedimento
  1. Tacho ao lume com cebola picada, alho, louro e duas colheres de manteiga. Deixar alourar.
  2. Meter o arroz e deixar refogar um pouco com a tampa fechada em lume baixo. Mexer de vez em quando.
  3. Enquanto isso, picar o courgette com casca em quartos de rodelas (ou sextos, no caso dos mega-courgettes!). Picar o presunto fininho.
  4. Quando começar a queimar mais adicionar o vinho e a água. Temperar com sal.
  5. Juntar o courgette e o presunto.
  6. Enquanto coze, ralar o queijo.
  7. Quando estiver bem cozidinho (e não espapaçadinho, cuidado) apaga-se o lume, junta-se a colher de manteiga que falta e o queijo ralado. Dá-se umas voltas e transfere-se para um pratinho assim mais bonito.
Já está! Com a outra mão estava a vigiar um esparregado de espinafres da Ti Leonilde (uma senhora muito simpática!!), enquanto um dos homens da casa tratava de umas costeletas de vitela grelhadas! Fácil, fácil, fácil! E como se diz lá em casa,

"Quando ninguém diz nada é porque está bom!"

3 de jul de 2010

Perú com legumes e açafrão no wok

Mais uma receita extra-rápida, ideal para um jantar de fim-de-semana, quando não abunda a vontade de cozinhar infinitamente e lavar a cozinha até ao sol nascer!

Rende: 2 porções para dois pequenos animaizinhos
Calorias: 300 kcal
Tempo: 20 minutos agitados

Ingredientes:
  • 2 bifes de perú cortados às tiras finas
  • 1 cebola pequena
  • 1/4 pimento vermelho
  • 1 courgette com casca
  • 1 embalagem de cogumelos frescos
  • 1 colher de sopa de azeite
  • 2 colheres de sopa de açúcar
  • vinagre (umas 3 colheres de sopa)
  • 2 colheres de chá de açafrão
  • gomásio
  • 1 colher de chá de molho de soja
  • 1 colher de sopa de farinha maizena
  • noz moscada e pimenta
  • sementes de sésamo para decorar
Preparação:
  1. Temperar o perú já cortado em tirinhas: colocá-lo numa taça com 2 colheres de sopa de vinagre, uma de açúcar, uma de farinha maizena, noz moscada, pimenta, açafrão, molho de soja. Deixar umas 5 horas a marinar no frigorífico.
  2. Lavar e cortar os legumes: Juntar os cogumelos laminados e o courgette num recipiente e a cebola em meias luas e o pimento às tirinhas finas noutro.
  3. Aquecer o azeite no wok. Escorrer a carne do molho da marinada e colocá-la no wok. Dar umas voltas, para ficar bem passada, e reservar no forno para não arrefecer.
  4. Colocar a cebola e o pimento no wok. Juntar uma colher de vinagre e uma de açúcar. Manobrar o wok até ficar a cebola bem douradinha.
  5. Juntar o courgette e os cogumelos. Deixar saltear e mexer de vez em quando o wok. Retocar os temperos. Aqui adicionei gomásio porque estava insonso (o gomásio é sal + sementes de sésamo).
  6. Juntar a carne reservada e mexer o wok até ficar bem envolvida.
  7. Servi num tabuleiro decorado com sementes de sésamo. Fiz umas batatinhas fritas na Actifry, enquanto me entendia com o wok!
Mesa com ele, com uma vinhoca rosé fresquinha e uma gelatina de morango em cima. A loiça lava-se amanhã! Vamos para outra paragem!!

2 de jul de 2010

Selo selo selo!!


Recebi o meu primeiro selo! Não sabia bem o que era. É um género de corrente de amizade entre blogs. Assim deixa-se um selo destes, o prémio dardos, como forma de demonstrar carinho e reconhecimento.

Foi a Carol Pimentel do blog Cozinhando o 7 http://cozinhando7.blogspot.com/ que me deu! Vão visitá-la! A Carol é nutricionista e tem umas receitinhas muito boas!

As regras do jogo são estas:

1- Exibir a imagem do Selo no blog.
2- Exibir o link do blog de quem deu a indicação.

3- Escolher 10,15 ou 30 blogs para dar indicação.

E os blogs nomeados são:

  1. As nossas cozinhas (http://nossascozinhas.blogspot.com/)
  2. Magic Flavours (http://magicflavours.blogspot.com/)
  3. Cardápio de sabores (http://cardapiodesabores.blogspot.com/)
  4. Sabor e saberes (http://saboresaberes.blogspot.com/)
  5. Gostosuras sem travessuras (http://gostosurassemtravessuras.blogspot.com/)
  6. Muito açúcar e um pouco de sal (http://muitomuitoacucarcomumpoucodesal.blogspot.com/)
  7. Amélia Digital (http://amehliadigital.blogspot.com/)
  8. Delícias não engordativas (http://receitaslightmissslim.blogspot.com/)
  9. Templo dos sabores (http://templodossabores.blogspot.com/)
  10. Vai uma fatia? (http://vaiumafatia.blogspot.com/)
Um beijinho a todas e bom fim-de-semana!

O tal exame já está arrumado, vamos continuar com a odisseia culinária!