9 de dez de 2011

Tagliatelle de soja com molho de beringela e tomate


Os dias de hidratos de carbono são dias felizes. Não sou menos feliz sem eles, mas a ligação emocional que lhes temos chega até a ser ridícula. Às vezes pergunto-me porque é que estamos habituados a recompensarmos qualquer coisa com hidratos de carbono.

Eu que até nem sou muito dada a massas, vi pelo Celeiro uma massa de soja e quis experimentar! Não faço ideia de como fazem aquilo mas a informação nutricional é qualquer coisa espantosa, com menos 50% dos hidratos de carbono e bem mais proteína!

O giro é que nem sabe a soja (eu odeio o sabor) e vem com umas coisinhas verdes (que segundo o rótulo não são corantes!).
A confecção é simples e rápida, como mais gostamos, com um peito de frango assado com especiarias em cima...e está feito!

Ingredientes
:
  • meia beringela
  • 1 tomate
  • 2 colheres de sopa de concentrado caseiro de tomate (fazemos no Verão. Lavar os tomates, triuturá-los, escorrer a água e colocar em frascos de vidro com uma camada de azeite por cima, para não se estragar. Conserva-se no frigorífico).
  • uma colher de sopa de molho de soja
  • meia colher de sopa de azeite
  • vinho branco
  • 1 dente de alho
  • meia cebola
  • 1 folha de louro
  • 1 piripiri seco
Procedimento:
  1. Cozer a massa conforme as instruções da embalagem.
  2. Aquecer o wok, juntar o azeite, a folha de louro e a malagueta.
  3. Laminar o alho, cortar a cebola e a beringela às rodelas finas. Juntar no wok.
  4. Deixar refogar um pouco. Verter o concentrado de tomate. Refrescar com o vinho branco.
  5. Deixar cozinhar 5 minutos ou até a beringela estar tenra.
  6. Juntar o molho de soja. Manobrar o wok e baixar o lume.
  7. Juntar a massa já escorrida, manobrar o wok e servir com o tomate cortado em meias luas.

4 de dez de 2011

SOS receitas rápidas: Mousse de chocolate proteica


Para estragar o ar de menina bonita que dei no post anterior, aqui vai disto!

Sim, ela corta doces e açúcares e fruta e tudo mas não é de ferro. Foi ontem! Dei por mim a achar que "faltava aqui qualquer coisinha" e antes de voar directa para aqui



(a minha prateleira dos frutos secos, que eu adoro!)

fiz esta receita.

(Sim, comecei a ir aos frutos secos quando me apetece trincar. Isto não tem nada de mal, a menos que se coma mais que a conta...e aí fica-se bem restabelecido de ómegas...mas com a pança cheia de calorias).

É uma receita da Dany Tamega, a minha PT brasuca preferida, que tem um site de receitas fit novo e cheio de boas opões! Ela chama-lhe mousse do Bob Esponja e tem um vídeo em que faz a receita com os filhos (que são uns traquinas muita giros)!

Rende: 2 porções
Tempo: 4 minutos
Informação nutricional: 173kcal, 25 g proteína, 5 g net carbs, 8 g gordura

Ingredientes:
  • 1 bloco de tofu firme (240 g)
  • 3/4 chávena de leite de soja light
  • 1 scoop de proteína de chocolate
  • 3 colheres de sopa de cacau magro em pó
  • adoçante a gosto
  • cacao nibs para decorar (é o feijão de cacau triturado...super amargo mas com uma textura muito agradável ao dente)
  • 1 colher de sopa mal cheia de óleo de côco (opcional...melhora um pouco a textura)
Procedimento:
  1. Numa trituradora (usei a bimby) meter tudo menos os cacao nibs e triturar até ficar bem misturado e "fofo". Deixar pelo menos 2 minutos a triturar.
  2. Verter para taças e vai ao frigorífico. Decorar com os cacao nibs.

Reeducar o paladar

Nestes últimos meses andei a reeducar o meu paladar. Sim, o meu cérebro não há-de ser mais teimoso do que eu e acho bem possível que lhe comece a apetecer uma pratalhada de couves em vez de uma tarte de maçã, por exemplo! E quem me conhece sabe que eu adoro couves e tudo o que é verde!

Na verdade, nunca me deu assim grande tonteira por coisas muito doces mas a fruta era o meu ponto fraco. E a seguir a uma peça de fruta vinha outra...e depois da segunda vinha um apetite por qualquer coisa doce que normalmente ia de gelatina ou chocolate preto com 80% de cacau. Quando comecei a reparar que quanto menos coisas doces comia, menos apetite tinha por elas e que bastava uma colherzinha de adoçante num chá para reverter o processo, não dei tréguas aos meus (estimados) neurónios.

Numa de fazer uma experiência, tirei a fruta, as gelatinas, os adoçantes, os chocolates pretos 80% de cacau e tudo o que é doce da minha alimentação. Nem me custou assim tanto porque foi gradual: no início permitia-me uma toranjazita, um iogurte magro com sabor, um iogurte grego 0% com cacau magro em pó e nos dias mais chatos um quadradito de chocolate 80%. Andei desde Setembro a habituar-me e no último mês ciclei os hidratos de carbono: 3 dias com poucos hidratos e um dia com hidratos à fartazana (mas tudo à base de coisas integrais e pouco açúcar, uma ou outra peça de fruta). O resultado é surpreendente: sinto muito mais o sabor da comida e tenho as papilas gustativas tão sensíveis que até consigo achar os cajús e as nozes doces, enjoar-me com o sabor doce da cenoura cozida ou comer uma pratalhada de couves cozidas como se fosse a maior pratalhada de aveia e banana do mundo!

Em termos de energia estou óptima, em termos de cabelo e unhas podia estar melhor (mas também nunca fui grande coisa) e em termos de banha da cobra o resultado foi bom, muito obrigado!

Com isto conquistei várias coisas:

1) Melhor regulação da minha glicémia: nunca mais tive aquelas crises de hipoglicémia que tinha dantes (e eu nunca comi pouco, note-se. Comia "mal"- abusava em produtos refinados, tipo barras de cereais, bolachas Maria, tostas, que me cansavam o pâncreas!)
2) Acabei com a sensação de "falta aqui qualquer coisinha" que me aparecia frequentemente depois do jantar (e acabava por descarregar na fruta, para não descarregar em coisas piores)
3) Mais energia, principalmente de manhã (e se vos disser que o meu pequeno almoço não tem pão nem cereais talvez não acreditem)
4) Entrei numas calças que estavam aqui postas de lado (estas coisas nunca acontecem sem nenhuma intenção por trás, não é verdade?!) e sem perder a minha tão suada massa muscular (acho que até ganhei, mas não é certo!).

Aqui seguem algumas fotos com as minhas refeições. Já sabem que sou uma bruta a empratar (mas também não faço por melhorar isso)! Esta foi a saga desde Setembro até agora, com as primeiras fotos com mais hidratos de carbono, à medida que fui diminuindo até Dezembro.


Hamburgueres de perú grelhados com beringela refogada e grão cozido
As minhas eternas claras de ovo com canela
Coxa de frango no wok com legumes (alho francês), quinoa cozida, grão cozido e salada
Truta salmonada com legumes e laranja no forno

Bife de atum grelhado (com mostarda), couve ripada e salada
Bife de frango grelhado (com mostarda), couve-flor e salada

Daqui para a frente vou continuar nesta onda, mas adiciono um pouco mais de hidratos de carbono! Entretanto tenho de actualizar a foto da cozinheira que está ali ao lado, porque aquele bracinho está mais compostinho, ich allah!

1 de dez de 2011

Bacalhau de consoada no forno




Este é o protótipo do nosso bacalhau de consoada deste ano. Todos os anos é a mesma coisa: bacalhau cozido com batatas, couves, bróculos, couve-flor, grelos, caras de bacalhau e ovos, alho para quem gosta...e já estamos fartos de ser sempre o mesmo! Dada a quantidade de boas cozinheiras na nossa mesa de 13 (na verdade duas mesas...há sempre os mais agoirentos que não gostam deste número) não se justifica que a receita não seja inovada!

Mantendo a tradição, com o bacalhau do avô, as couves da mãe e os ovos das galinhas nossas co-habitantes, esta semana saiu esta invenção. Há que dar os merecidos louros à senhora minha mãe por esta ideia genial!

Muito boa, visualmente mais interessante que uma travessa de grelos e uma travessa de bacalhau, apelativa até para as crianças (julgo eu...quem não gosta de couves tira só a parte de cima, pronto, a prima Catarina come!)...só falta testar um pormenor: como ficaria com broa de milho picada com alho e disposta entre as fatias de ovo, antes de gratinar? Fica a sugestão!

Rende: 2 porções (brutos, é verdade!)
Tempo: 40 minutos (15 de manobras e o resto de forno e cozedura)
Calorias: 370 kcal

Ingredientes:
  • 1 posta boa de bacalhau (dá uns 200 g de bacalhau cozido)
  • 2 batatas doces médias
  • couve galega (muita. Deu umas 4 chávenas cheias de couve ripada)
  • 4 dentes de alho
  • 3 cebolas
  • 1 folha de louro
  • orégãos, sal, malagueta seca
  • 2 colheres de sopa de azeite
  • vinagre
Preparação:
  1. Lavar a couve e ripá-la bem fininha. Descascar as batatas e cortar em rodelas. Lavar os ovos.
  2. Cozer tudo (não usei sal...o bacalhau já é salgado...e depois coloquei sal no refogado de cebola). Usei a bimby e meti o bacalhau no cesto, a couve e ovos na varoma e as batatas no andar de cima da varoma. Mas não é nada que não se faça com 3 tachos.
  3. Enquanto coze, fatiar as cebolas bem fininhas para um tacho. Juntar o restante alho fatiado, a malagueta seca fatiada bem fininha, o sal, o azeite e a pimenta. Deixar refogar em lume baixo, mexendo de vez em quando.
  4. Num tabuleiro refractário, colocar a couve ripada cozida no fundo, laminar três dentes de alho para cima e colocar as batatas doces cozidas meias esfareladas com os dedos por cima. Tirar pele e espinhas ao bacalhau e desfazê-lo grosseiramente para cima das batatas.
  5. Borrifar generosamente com vinagre (se for do agrado das visitas...ele há esquisitos!).
  6. Cobrir com a cebolada. Fatiar os ovos e dispo-los sobre a cebola.
  7. Vai ao forno alto pré-aquecido gratinar 15 minutos.

Espero que gostem!
Gente da minha família, é isto que vos espera este ano! Vão afiando o dente!