31 de mar de 2010

"Não faça dietas, leia mais"

É isso mesmo Joãozinho! A prima depois mete aqui a Sopa de Feijão da tia Ana!! =D

27 de mar de 2010

Noodles de arroz com perú e o q'há cá

O que fazer quando se tem uma ratazana gigante no estômago e uns escassos 20 minutos para actuar?

Arregaçar as mangas, pôr o avental e...não ter pena do fogão!

Rende: 2 porções
Tempo: 20 minutos, et voilà
Calorias: as 500 kcal que um almoço de sábado pós-ginásio merece!

Ingredientes
- 4 mãos cheias de massa de arroz
- 2 bifes grandes de perú
- 1 cenoura grande
- 1/2 lata de ervilhas
- 4 tomates secos
- 1 cebola
- 1/4 de pimento verde
- 1 pedaço de gengibre ralado
- 3 colheres de sopa de molho de soja
- 5 colheres de sopa de vinagre de arroz
- 1 colher de sobremesa de açúcar
- 1 colher de sopa de farinha maisena
- Pimenta
- 2 colheres de sopa de óleo de amendoim (usei óleo alimentar normal)
- Sementes de sésamo para decoração


Eis os reis da festa: carne bem temperada e massa de arroz, que se encontra nos grandes supermercados. Esta veio do Pão de Açúcar das Amoreiras. Não é cara. Por 2 euros e pouco levam um pacotão que dura muito tempo...

1- Meter dois bifes de perú a descongelar no microondas.
2- Pôr um tacho com água ao lume. Adicionar a massa quando ferver. Deixar cozer consoante as instruções da embalagem (3 minutos, neste caso), e escorrer. Adicionar 1 colher de sopa de óleo de amendoim e mexer com um garfo, para não colar.3- Cortar os bifes em tirinhas e temperar: pimenta, molho de soja, maisena, vinagre, gengibre ralado, açúcar. Deixar marinar uns minutos.
4- Enquanto isso, descascar a cebola e a cenoura. Cortar a cebola em meias luas. A cenoura corta-se no sentido longitudinal e depois em meias-rodelas muito finas, enviesadas. Picar o pimento fininho. Cortar os tomates secos em duas ou três partes, para não ficarem muito grandes.
5- Aquecer bem o wok, deitar uma colher de óleo e de seguida a carne, sem o molho da marinada, que se deve reservar.
6- Adicionar a cenoura, cebola e pimento. Manobrar o wok de forma a pôr essa cor toda a saltar, a virar e a mexer lá dentro!
7- Juntar as ervilhas e o tomate seco.
8- Adicionar ao molho da marinada um pouquinho de água quente e botar no wok. Faço uma batota (os entendidos não aprovam esta parte) e tapo com a tampa (o meu é um neo-wok!!!) e deixo apurar bem.
9- Quando estiver apuradinho (e não esborrachadinho, cuidado!) juntar a massa, bem escorrida. Esta é a parte que menos gosto - envolver tudo. Os orientais usam os pauzinhos, eu uso dois garfos...e às vezes as mãos!!
10- Wok na mesa (é tosco mas tem muita pinta!), assobiar, limpar as mãos e vamos a isso! Vão ver que de barriga cheia o fogão se limpa muito melhor!!

Risotto do mar

Sexta-feira é dia de jantarada! E ontem foi mesmo um risotto de peixe, que é bom, simples e rápido de fazer. Usei a Bimby, que em matéria de arroz é uma expert!

Rende: 2 porções para duas bocas abençoadas
Tempo: 40 minutos
Calorias: as 600 kcal que uma sexta-feira merece!

Ingredientes
Usei lulas, delícias do mar, tamboril, pescada e miolo de camarão
1/2 alho francês
1 cebola
3 dentes de alho
2 colheres de sopa de azeite
1/4 pimento verde
100 g vinho branco seco
800 g de água
150 g arroz para risotto
20 g queijo parmesão ralado
salsa, pimenta e sal a gosto
1 folha de louro

Procedimento
1- Colocar 800 g de água no copo e o peixe no cesto. Cozer 5 minutos, velocidade 1, temperatura varoma.
2- Reservar o caldo e retirar o cesto.
2- Colocar a cebola e o alho no copo. Picar 5 seg, velocidade 4.
3- Adicionar o azeite, o pimento, o alho francês e a folha de louro. Colocar o peixe na varoma. Refogar 10 minutos, temperatura varoma, velocidade 2.
4- Retirar a folha de louro e triturar 10 segundos, velocidade 5.
5- Colocar a borboleta. Juntar 400 g do caldo reservado, o vinho branco e o arroz. Continuar com a varoma com o peixe. 10 minutos, temperatura varoma, velocidade 1.
6- Colocar no copo o peixe desfeito, as delícias do mar cortadas em tirinhas fininhas, a salsa picada e o queijo ralado. Temperar com sal e pimenta a gosto. Retirar o copinho e programar 5 minutos, temperatura varoma, velocidade 1.
7- Está pronto a servir. Acompanhei com uma salada de alface!
Notas:
- Nunca adicionar líquidos frios! O vinho deve estar à temperatura ambiente. O caldo ainda estava quente.

26 de mar de 2010

Profiteroles de chocolate no dia do chocolate!

Profiteroles fazem sempre uma mesa muito bonita, principalmente se se tiver a paciência de os empilhar em pirâmide e regar com chocolate por cima. Além disso, quem gosta de chocolate ADORA profiteroles e quem não gosta...há sempre outras opções de recheio, que não ficam nada atrás!

Acho engraçado porque muita gente pensa que fazer esta massa (massa choux) é muito difícil. Eu mesma pensava assim, até meter a mão na massa sozinha, sem intervenção da minha mestre! Hoje foi o dia! Muita gente que vai lá a casa pergunta se a massa não é congelada. Na verdade, acho que só comi profiteroles congelados em restaurantes (ver-go-nho-so) e o meu dentinho aguçado prefere, de longe, os que são feitinhos à mão!

Optei por adaptar a receita ao meu gosto_ juntei cacau à massa, prescindi de natas e calda de chocolate e recheei com algo mais leve.

Rendimento: 3 doses (9 profiteroles ao todo)
Tempo: 15 minutos de manobras + 30/40 minutos de forno
Calorias: 150 kcal por porção (sem recheio)

Ingredientes para a massa
50 g farinha com fermento
30 g margarina light
Pitada de sal
1 dL de água
1 ovo grande
1 colher de sopa cheia de cacau magro em pó

Ingredientes para o recheio
1 iogurte natural magro
1 colher de sopa de adoçante
Meia banana

Procedimento

1- Pôr um tacho com a água, sal e margarina ao lume.
2- Quando ferver, retirar o tacho do lume e adicionar a farinha, até fazer uma bola de massa.

3- Voltar a pôr o tacho em lume baixo, para agarrar os restos de massa das paredes.
4- Deixar arrefecer uns minutos.
5- Bater o ovo e adicionar aos poucos e poucos.
  • Esta é a parte chata! Há que insistir e mexer energicamente para a massa ficar uniforme, semelhante a um creme com este aspecto:
6- Untar e polvilhar um tabuleiro com farinha. Com duas colheres de sobremesa, fazer pequenas bolinhas jeitosinhas.
  • Não gosto muito de sacos-de-pasteleiro! Se se tiver jeitinho os profiteroles ficam bonitos na mesma e poupa-se muita cerimónia!
7- Vai a forno médio pré-aquecido, durante uns 30 minutos.
  • Não vale abrir o forno e espreitar, senão eles baixam a garimpa e nós não queremos isso!
8- Deixar arrefecer (não sobrepôr!), abrir e rechear na altura de servir.

9- Para o recheio bati o iogurte e o adoçante e cortei rodelas de banana.



Sexta-feira + dia do chocolate está mesmo a pedir uma sobremesa destas! Espero que gostem!!



Notas
:
- Desde o advento da Vaqueiro Líquida que não sujo as mãos a untar tabuleiros. Esguicho um bocadinho, espalho com um pincel e depois é só polvilhar com farinha. O próximo passo é o spray culinário!
- Usei chocolate em pó, daquele de dissolver no leite. Compro um da Canderel, que é mesmo cacau.
- É com esta massa que se fazem os Duchaises, os Éclairs e os Rins. Mas para isso, é preciso o saco-de-pasteleiro.



25 de mar de 2010

Mini bagels integrais

Ando a procurar receitas de snacks que se possam levar para comer a meio da manhã e da tarde. Já me iniciei no estágio das barrinhas de cereais, e lembrei-me que uns bagels pequenos integrais não deveriam ser má ideia.
Parece complicado, mas não. É só aborrecido o mexe-espera-remexe-espera-tapa-mexe-coze! Faz-se em duas horas, por aí, com muitos intervalos pelo meio...Utilizei a Bimby, que nestas coisas de massas peganhentas dá muito jeito!


Rendimento: 6 unidades (faço sempre pequenas quantidades)
Tempo: 2 horas ao todo, com muitos intervalos pelo meio
Calorias: 80 kcal, para quem estiver interessado em saber! Tem 3 g de fibra, igual a uma maçã!


Ingredientes
80 g de leite magro
110 g farinha integral
5 g de açúcar
Pitada de sal
1/3 saqueta de Fermipan
Sementes e queijo ralado (usei sementes de linhaça, de sésamo, de papoila, farelo de trigo e alecrim)


Preparação

1- Colocar o leite e o sal no copo. 37º, velocidade 1, 10 segundos
2- Juntar a farinha, açúcar e o Fermipan. 20 segundos, velocidade 1 + 3 minutos, velocidade espiga
3- Fazer uma bola e colocar num recipiente untado com margarina. Abafar com uma toalha, guardar num sítio quente (o aquecedor da casa-de-banho é óptimo!!) durante 1 hora.
4- Colocar a massa sobre a mesa e dar-lhe uns murros, pra ficar espalmada. Mais 10 minutos.
5- Fazer um chouriço e cortar em 6 segmentos. De cada segmento molda-se uma bola, mete-se o indicador e faz-se-lhe um buraco. Eu girei a massa à volta do dedo, como se dança o Hula-hula! Esta é a parte mais gira! É importante que o buraco ocupe 1/3 do diâmentro do anel, porque no forno é provável que diminua!5- Colocar os anéis sobre um tabuleiro revestido de papel vegetal. Tapar com um pano húmido. Esperar 10 minutos. Colocar logo um tacho com água ao lume. Preparar um pratinho com as sementes.

6- Depois deste tempo e com a água a ferver, reduzir o lume para o mínimo e introduzir os anéis. Eles devem cozer durante 1 minuto, virando-se com uma espumadeira de uma vez, sem medos, a meio da cozedura.
7- Deixar os bagels a escorrer numa travessa com papel de cozinha. Pegar neles, um a um, e esbugalhá-los contra as sementes, no pratinho.
8- Vão a forno médio pré-aquecido, no tal tabuleiro com papel vegetal. 20-30 minutos chegam para ficarem tostadinhos e o queijo derreter.
9- Deixar arrefecer sobre uma grelha.

E ei-los:
Estão prontos a rechear (com salmão fumado, queijo creme, fiambre, o que quiserem), embrulhar e meter no bolso da bata!

Enjoy it!

23 de mar de 2010

Entradas às 4 pancadas

Hoje houve jantar no Restaurante 4 patas! A ideia era qualquer coisa meio sentado, meio de pé porque arrumar sete pessoas em minha casa não é coisa muito fácil! Ainda por cima gordos! (É uma private joke!).

A ocasião pedia qualquer coisa que se beliscasse enquanto ia manobrando o wok. E como em qualquer jantar de estudante que se preze, não poderia faltar a tosta e o paté.
Para fugir aos vulgares patés de atum, delícias e frango, atulhados de maionese, e desenrascando-me com o que havia cá por casa, as opções foram:

  • Paté de pato com agriões e cenoura
  • Paté de alheira de aves com maça reineta e nozes
  • Paté picante de queijo da ilha e tomate
  • Tostas de queijo da ilha e manjericão
  • Tostas integrais com muesli

Comecei por ligar o forno e despachar as tostas. Importa saber que esta "brincadeira" demora uns 30 minutos e o que dá mais trabalho é mesmo estender a massa das tostas de queijo e lavar o copo da Bimby (quem não tem, uma picadora normal serve).


Tostas integrais com muesli

Facílimo! Tinha um saco de pão integral com muesli na despensa que ninguém comia porque com manteiga a mistura fica...esquisita! Foi o meu pai que se enganou e trouxe no lugar de pão integral normal!! Depois de uns dias a remoer o que havia de fazer com ele, lembrei-me disto:

- passar com o rolo da cozinha e achatar as fatias
- cortar círculos com uma tampa de garrafa de azeite
- vai ao forno tostar, sobre papel vegetal

Aqui o muesli já sabe bem e com o paté de alheira combina muito bem.


Tostas de queijo da ilha e manjericão
- Picar 30 g de queijo
- Adicionar 70 g de farinha, 30 g de leite, 25 g de azeite, uma pitada de sal e manjerião seco a gosto
- Envolver tudo e estender a massa sobre papel vegetal, bem fina
- Cortar aos quadrados com uma faca
- 10 minutos em forno médio

Comem-se umas atrás das outras. Importa que a massa fique mesmo fininha, para que fiquem estaladiças.

Enquanto as tostas estavam no forno, fiz-me aos patés:



Paté picante de queijo da ilha e tomate
- Picar 20 g de queijo da ilha, daqueles que já ninguém pega de tão duro que está
- Juntar um tomate chucha bem vermelhinho e rijo
- Um terço de um piri-piri potente do Alqueidão
- uma colher de sobremesa de massa de pimentão
- oregãos
- 3 dentes de alho
- Picar até ter consistência de puré

Foi o meu preferido! Adoro picante!


Paté de pato, agriões e cenoura
- uma mão cheia de carne desfiada de pato feliz do Alqueidão
- uma cenoura crua
- uma mão cheia de agriões
- três colheres de sobremesa de mostarda dijon das que sabem mesmo a mostarda
- três colheres de sobremesa de iogurte natural
- pimenta e sal
- picar tudo e rectificar o tempero.

Paté de alheira de aves com maçã reineta e nozes
- 1/4 de alheira
- 1/2 maçã reineta
- 2 colheres de iogurte natural
- miolo de duas nozes picadas grosseiramente
- raminho de salsa do Alqueidão picada

Este foi o preferido das visitas. Alheira e maçãs ácidas combinam muito bem!


E pronto! Lavar o copo da Bimby, meter os patés em tacinhas pequeninas no frigorífico, enquanto preparava uma mega lasanha de carne e uns noodles de perú feliz do Alqueidão. Isto tudo depois de um bolo mármore às 4 pancadas (e só depois me lembrei que dois dos convidados não gostavam de chocolate!).

Acho que foram bem tratadinhos para casa! E mais goooordos!! :D


Oh não, mais um blog de donas de casa que não têm nada que fazer!

Primeiro que tudo, convém já avisar que este blog vai andar a toque de caixa, como tudo o que faço nos meus tempos-livres.

Importante também será dizer que tempos-livres é coisa que não abunda cá para estes lados e os tachos e panelas ocupam um lugar de destaque entre tantas outras coisas que gosto de fazer quando ando mais "folgada".

Hoje caíu-me o meu raio mensal em cima (é mais ou menos com esta frequência que tenho escrito) e cheguei à conclusão que já era tempo de partilhar um dos meus hobbies preferidos!

Restaurante 4 patas era uma brincadeira de quando eu e o meu irmão éramos pequenos. Em casa sempre fomos 4 à mesa e sempre se comeu tão bem que havia quem lhe chamasse assim. Na verdade seriam 8 patas, duas por cada um, mas alguém deve ter pensado que o quatro é um número mais bonito!

Para quem me conhece, já sabem: comida saudável, ingredientes naturais, de confecção rápida, algo criativa e alternativa. Tem dias! Simpatizo com vegetarianos, japoneses e indianos, mas acima de tudo, a minha grande influência é mesmo a minha mãe!

E assim dedico-Lhe este espaço, bem como às tias, às avós e à Dona Dulce da casa do 12º, que me permitiram os estágios mais diversificados:
  • Argolas da tia Graça
  • Sonhos da tia Carla
  • Broas da avó Mimi
  • Fritos da avó Delfina
  • Refeições para o avô (que é diabético)
  • Comida engordativa para encher as peles ao meu irmão
  • Grelhados para a barriga do meu pai
  • Doces para a gulosa da mãe
Divirtam-se e abusem da vossa cozinha!

Catarina